19 de out. de 2021

pensamentos de varanda

by Matteo Pericoli

numa manhã de feriado, um passarinho entrou pela porta da varanda e pousou na ponta do sofá da sala. o presságio de um ser em desespero pra encontrar uma saída daquele mundo estranho, o qual estaria a desbravar, me motivou a espantar o coitado no segundo seguinte à sua chegada. sou uma ótima anfitriã, como podem imaginar.

aquele passarinho me fez pensar um bocado e me deixou levemente nervosa. não que as coisas começaram a desandar depois desse mal encontro, mas percebo que o fato dele ter brotado na minha rotina tão inesperado (justo como a vida é), me fez recordar de incontáveis vezes que algo assim simplesmente me destruiu.  

se me lembrasse a cada segundo que a vida é tão mais do que consigo enxergar, ou entendesse como o tempo consegue parar sem deixar sobras depois do fim, talvez, e só talvez, a minha percepção sobre as coisas fossem diferentes. talvez se eu trocasse de olhos, de coração, de cérebro e de... não, espera. talvez um par de pernas velozes, fosse o ideal, mas ainda assim...não, espera. não é de tempo que eu preciso, não é de horas a mais, mas também não é falta de pares perfeitos ou singulares mentes funcionais. 

então, o que é? o que pode ser o tempo em meio a tanto correr e continuar se atrasando? o que pode ser o que o tempo tenta me proporcionar e eu recuso com tanta violência?

ansiedade deixa tudo mais intenso, urgente, catastrófico e mesmo com ela ou não presente, como seria ter o controle do tempo, o botão que desliga as luzes, a cordinha que fecha a cortina no momento o qual não se quer viver no agora? 

apesar de ter sido numa bela manhã de feriado quando aquele passarinho decidiu, ou ao acaso, entrar pela porta, poderia não ter sido tão belo assim. poderia ter me pego ainda mais desprevenida num dia de semana comum em que tenho tarefas a fazer, poderia como num passe de mágica, ter estragado tudo. é engraçado o quão trágico pensamentos podem ser?

vivo intranquilidade. afinal, como poderia, um ser humano como eu, entender que ter o tempo é impossível? o tempo é ele e ele é dele, mas eu me perco pra não perdê-lo. nunca o tive, nunca o terei. acompanho seus passos, tento seguir seus rastros e me confundo, achando fácil, mas a vida acontece, o tempo passa e eu fico. fico, apesar do tempo querer me levar.

tenho convicção que o tempo mandou lembranças ao enviar o pássaro á minha varanda, mas ele bem que podia muito bem ter vindo ao meu encontro dentro daquele pequeno ser, pois mesmo que eu quisesse ainda não o teria em minhas mãos. espantaria como qualquer outra oportunidade.

ás vezes, fecho os olhos e me deixo ir pra ver até onde, quando e o quanto viveria. o tempo seria meu e eu seria dele, ao mesmo tempo, numa permuta justa. provavelmente, não, mas é legal imaginar que se poderia, mesmo que de forma ilusória, estar no controle. ⭐